Blog   EPIs   20 de outubro de 2020

Tipos de Trabalho em Altura

Tempo de Leitura: 5 minutos
tipos de trabalho em altura

Existem diversos Tipos de Trabalho em Altura que são comumente realizados no mundo inteiro. Atividades que infelizmente são inevitáveis, como limpeza de telhados, manutenções na rede elétrica ou até mesmo pinturas de fachadas. 

A má notícia é que esta modalidade profissional é um dos principais causadores de Acidentes do Trabalho no Brasil. Isso porque de fato as atividades desenvolvidas nessas condições envolvem riscos, mas também talvez pela falta de informação e proteção corretas. 

Por este motivo, aqui na Prometal EPIs gostamos de salientar com frequência a importância do compartilhamento de conhecimento entre as equipes. Promover a Segurança do Trabalho por entre os funcionários não é tarefa fácil, mas com boas reuniões, DDS e treinamentos é possível reduzir o índice de Acidentes e Doenças Ocupacionais. 

Existem diversos Tipos de Trabalho em Altura e por isso podem oferecer os mais diversos tipos de riscos também. Dessa forma, torna-se fundamental identificar quais as atividades que serão de fato desenvolvidas para que seja possível identificar as Medidas de Controle de cada um dos Riscos previamente identificados. 

Portanto, para cada uma dessas atividades, poderão selecionados diferentes EPIs, além dos EPIs mais comuns para o Trabalho em Altura. Não é sempre que existe o risco de choque elétrico, por exemplo. Mas quando existir, os equipamentos para a proteção necessários certamente deverão abranger este agente de risco. 

Ou seja, existem muitas variáveis para promover a Segurança do Trabalho e o conhecimento certamente é uma delas. Vamos falar mais sobre o Trabalho em Altura e seus diferentes tipos? 

Sobre o Trabalho em Altura 

Toda atividade de Trabalho em Altura é definida pela Norma Regulamentadora de número 35 – NR 35. Segundo a NR, para ser considerado dessa forma basta que a atividade seja desenvolvida a 2 metros do nível inferior e/ou haja risco de queda do profissional. 

Isso indica que, independente da atividade que seja desenvolvida, possuindo essas características, já será considerada desta forma. E, sendo assim, as regras e obrigatoriedades tanto do empregador quanto do trabalhador deverão ser tomadas. 

Do contrário, além de colocar os trabalhadores em risco evidente, a empresa estará sob risco judicial uma vez que esteja apta a receber multas e processos judiciais por descumprir com as suas obrigações. Em caso de Acidente do Trabalho, este problema fica ainda pior. 

Por este motivo, promover a Segurança do Trabalho em Altura é imprescindível. E, para isto, existe uma série de determinações a serem seguidas que são claramente descritas pela NR 35. Portanto, ter conhecimento do que diz a NR é primordial para o responsável por este setor dentro de uma empresa. 

Dentre as regulamentações determinadas pela NR 35, estão:

  • As boas práticas para Capacitação e Treinamento dos funcionários, o que é obrigatório; 
  • Todo o planejamento, organização e execução das atividades que serão desenvolvidas na altura;
  • Como deverá funcionar o Sistema de Proteção Contra Quedas; e 
  • Os requisitos de Emergência e Salvamento.

Além disso, a NR também traz um Glossário e dois anexos referentes ao Acesso por Cordas e o Sistemas de Ancoragem – duas práticas muito utilizadas nesse tipo de atividade. 

Importante salientar que independente dos Tipos de Trabalho em Altura que serão desenvolvidos, essas determinações deverão ser obrigatoriamente seguidas. 

Tipos de Trabalho em Altura 

EPIs para o trabalho em altura

Existem muitos tipos de trabalho em altura em diversos ramos profissionais, já que para ser considerado desta forma basta uma atividade ser realizada acima de 2 metros do nível inferior e/ou risco de queda. Por isso, áreas como a construção civil, limpeza, serviços de eletricidade, etc, costumam realizar este trabalho com frequência. 

Segundo as últimas notícias, em 2019, os setores da construção civil, elétrico e telecomunicações foram os que mais sofreram com Acidentes do Trabalho envolvendo quedas provenientes de certos tipos de trabalho em altura. 

No entanto, existem diversos outras atividades além destas que são desenvolvidas desta forma. Veja algumas delas: 

  • Pinturas de fachadas;
  • Limpeza de telhados;
  • Construção Civil;
  • Trabalhos realizados em plataformas ou andaimes;
  • Limpeza de chaminés;
  • Montagem e desmontagem de estruturas;
  • Armazenamento em supermercados e galpões;
  • Limpeza de caixas d’água;
  • Manutenções na rede elétrica;
  • Manutenções em tubos, túneis e silos;
  • Entre muitos outros.

É muito importante ressaltar que mesmo embora muitas empresas não tenham como atividade principal os serviços em altura, pode ser que volta e meia precise desenvolver tais atividades. Nessas ocasiões, a NR 35 deve ser seguida com responsabilidade. 

Outro ponto importante é caso ocorra uma queda de altura, ou seja, um acidente do trabalho nessas circunstâncias, o item referente a Emergência e Salvamento da NR 35 também deverá ser seguido. Isso porque as técnicas de resgate nesses casos deverão ser muito específicas para cada caso. 

Acidentes com Trabalho em Altura 

tipos de trabalho em altura

Segundo uma pesquisa de 2017 do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), em média, 14,49% das mortes ocorridas em ambientes de trabalho estão relacionadas a quedas de trabalho em altura. Fatalidades que muitas vezes poderiam ter sido evitadas se houvesse uma maior responsabilidade com o que diz a NR 35.

Seja por parte do trabalhador ou por parte do empregado, ainda há um certo descaso com a Segurança do Trabalho em todas as áreas profissionais. Por isso é tão importante e frisamos tanto o fato de repassar informações adiante, compartilhar conteúdos com a equipe, promover reuniões, Diálogos Diários de Segurança, entre diversos outras ideias.

Para cada acidente de trabalho ou doença ocupacional, caso haja a comprovação de que a empresa não cumpriu com suas obrigações, poderá ser imposta uma multa que pode ir de 400 a 6 mil reais. Podendo este valor se multiplicar, dependendo do grau do problema. 

Ou seja, prevenir acidentes, independente dos tipos de trabalho em altura, é importante por inúmeros motivos. Mas o principal, é lógico, que é promover a saúde e a segurança física dos trabalhadores de um ambiente de trabalho com riscos. 

Quais tipos de trabalho em altura causam mais acidentes? 

Como você viu anteriormente, são muitas as atividades a serem desenvolvidas como Trabalho em Altura. Por este motivo, é muito importante identificar previamente cada uma delas para que seja possível desenvolver as medidas de controle de risco específicas. 

Assim, não se pode dizer que um tipo ou outro causa mais acidente. Mas sim, aquele que é desenvolvido com descaso ou irresponsabilidade. Por exemplo, é muito comum vermos empresas que não fazem a instalação das proteções coletivas como deveriam.

Outras não realizam os treinamentos e capacitações dos funcionários conforme manda a legislação, de no mínimo 8 horas por período. Más escolhas nos equipamentos, como talabartes, linhas de vida, EPIs…

Ou até mesmo o descaso dos próprios trabalhadores com os EPIs, o que às vezes também ocorre. Seja por descaso mesmo ou pela falta de treinamento, de orientação, ou pelo EPI inadequado, ou por má utilização… Tudo resulta na falta de conhecimento e de responsabilidade.

O que pode ser facilmente revertido se cada um fizer a sua parte. 

Precisando de EPIs para Trabalho em Altura?

Aqui na Prometal EPIs você encontra as melhores marcas de EPIs para Trabalho em Altura aliado ao melhor custo-benefício.

Confira aqui as nossas opções.

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário ou nos chame pelo chat do canto da tela! 🙂

Continue a sua leitura com EPIs para Trabalho em Altura – NR 35

Registre-se
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments


    Faça parte da nossa rede de contatos

    Estamos sempre em busca de novidades sobre equipamentos de segurança. Cadastre-se para recebê-las em seu e-mail.