Blog   Notícias   10 de fevereiro de 2020

Coronavírus e os EPIs – o que você precisa saber?

Tempo de Leitura: 6 minutos
Coronavírus

O Ministério da Saúde do Brasil publicou recentemente, em seu site oficial, uma lista de perguntas e respostas sobre o novo Coronavírus – doença detectada na China e em pelo menos 15 outros países. O que muita gente não sabia é que os EPIs estão tendo papel fundamental neste momento. 

O vírus Corona é, na verdade, uma grande família de vírus conhecida desde meados da década de 1960, que causam infecções respiratórias em humanos e animais. Em geral, as infecções por coronavírus causam problemas respiratórios de nível leves a moderados, muito semelhantes a um resfriado. 

Em alguns casos, esses problemas podem levar a doenças mais graves com implicações significativas na saúde pública, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave encontrada em 2002 e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio encontrada em 2012. 

No geral ainda não está muito claro a forma de contágio e nem a facilidade que o Coronavírus tem de ser espalhar. Na realidade, estudos ainda estão sendo realizados e o que se sabe é que a contaminação dele está ocorrendo de forma contínua.

Por este motivo, conhecer os EPIs mais adequados para utilizar nessas situações pode ser um passo muito importante para a proteção de todos.  

Como identificar os sintomas do Coronavírus?

Como os sintomas são muito parecidos com uma gripe ou até mesmo um resfriado forte, o ideal é sempre procurar um médico em qualquer sombra de dúvida. No entanto, os primeiros sintomas são febre, tosse com frequência, dificuldade de respirar, entre outros.

Caso alguém apresente os sintomas da doença, o tratamento do paciente deve ser feito de modo privativo, onde o mesmo precisa ser tratado em um quarto separado dos demais pacientes. Durante esse período é que entram os EPIs, que são as peças-chave para evitar que o vírus se espalhe por aí. 

Todos os profissionais que irão atender o paciente deverão fazer uso dos Equipamentos de Proteção Individual adequados. A OMS orienta, para o Brasil, que os profissionais da área de saúde utilizem respiradores com registro na ANVISA e que são destinados contra riscos biológicos. 

Dessa forma, os profissionais poderão coletar amostras respiratórias do enfermo e encaminhar para o pronto de atendimento de referência. Mas quais são os EPIs utilizados com o Coronavírus e como que eles previnem a contaminação? É o que veremos nos tópicos seguintes. 

Como os EPIs podem prevenir a contaminação?

Para reduzir o risco de desenvolver ou transmitir o Coronavírus, responsável por causar uma série de doenças respiratórias, especialmente aquelas com alta infecciosidade, recomenda-se tomar algumas medidas preventivas gerais, antes mesmo dos EPIs. 

Entre elas está lavar sempre as mãos, utilizar álcool gel e cuidar para não tocar nas membranas e nem na mucosas dos olhos, nariz e boca ao espirrar ou tossir. Além disso, não compartilhar nem emprestar os itens pessoais, como talheres, pratos, copos ou garrafas, evitar ficar em ambientes sem ventilação também são outras recomendações.  

Recentemente a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) publicou (29/01) uma série de recomendações para os trabalhadores que atuam nos aeroportos, portos e fronteiras da China em contato com outras pessoas, a fim de tentar controlar a propagação da doença.

Entre essas recomendações estavam as boas práticas que mencionamos e muito importante: o uso de EPIs. O uso de EPIs não irá eliminar a contaminação mas, sim, formar uma barreira entre o contaminante e o usuário do Equipamento. 

Por este motivo, é fundamental que sejam utilizados adequadamente e com responsabilidade. Mas agora você pode estar se perguntando… Quais são afinal os EPIs mais buscados para lidar com Coronavírus? É o que você vai ver a seguir. 

Coronavírus e os EPIs – quais os mais buscados? 

Existem três recomendações básicas que determinam os EPIs a serem utilizados pelas pessoas que por ventura poderão lidar com o contaminante. São elas:  

  • Pessoas que lidam recebendo público nos aeroportos, fronteiras ou em qualquer outro meio de transporte devem utilizar Máscara Cirúrgica – mesmo que não haja relatos da doença na região;
  • Quando já há a suspeita da doença, é recomendado o uso de Óculos de Proteção, Luva de Segurança e Vestimenta de Proteção, além do Respirador Adequado;
  • Funcionários de transportes, que atuam recebendo e realizando inspeções nas bagagens deverão utilizar Luvas de Segurança e Máscaras Cirúrgicas; 

Vale ressaltar que os EPIs devem ser disponibilizados por todos os órgãos e empresas de maneira gratuita, bem como determina a NR 6

O que você precisa saber sobre os Respiradores

Existem alguns pontos muito importantes sobre os Respiradores e o Coronavírus que você precisa ficar atento. A primeira delas é sobre o “Respirador N95”, que muitos clientes têm nos pedido. Este respirador recebe esse nome em virtude de uma aprovação da NIOSH, dos Estados Unidos. 

No entanto, aqui no Brasil, nós temos a nossa própria nomenclatura. Dessa forma, neste caso, o N95 é equivalente ao nosso PFF2 sem válvula. Essa diferença nas nomenclaturas tem causado uma enorme confusão e por isso é fundamental que você tenha isso claro.

Outro ponto importantíssimo é que a OMS classificou os respiradores para o Coronavírus em dois grupos: 

  1. Para profissionais de Saúde; e 
  2. Para uso geral. 

Dentre esses respiradores, os que os profissionais de saúde precisam utilizar devem ter, obrigatoriamente, o registro na ANVISA. Isso porque necessitam de uma série de critérios muito diferenciados que vão desde a fabricação até a comercialização dos mesmos. 

Inclusive, este respirador nem nós, aqui na Prometal EPIs, poderíamos comercializar, a não ser que tivéssemos a autorização da ANVISA. Já os Respiradores para uso geral, esses sim, você encontra disponíveis em nossa loja.

No entanto, vale o alerta deixado pelo nosso Técnico em Segurança do Trabalho e Consultor de Vendas, André Britto: 

“Infelizmente, os estoques mundiais estão acabando. Os EPIs que são para esse tipo de situação se tornarão raros dentro de pouco tempo. Torcemos para que a epidemia seja controlada e que os fabricantes no mundo todo consigam produzir normalmente. O momento é de extrema tensão quanto à proteção individual mundial. É um momento muito triste, não só para a China, mas para a humanidade. É imprescindível que as pessoas se protejam mais do que nunca, para que a doença não se espalhe ainda mais. Um vírus pode ser muito mais mortal que uma guerra com armas e bombas.”

André Britto – TST e Consultor de Vendas

Recomendações Gerais aos Trabalhadores

É importante lembrar que, além da utilização obrigatória do EPI, os funcionários dos portos, aeroportos e fronteiras deverão sempre tomar as medidas preventivas básicas para a prevenção do Coronavírus.

São elas:

  1. Realizar a higiene frequente das mãos com água e sabão. Se suas mãos não estiverem visivelmente sujas, você pode limpá-las com álcool gel.
  2. Usar lenços descartáveis ​​para higiene nasal.
  3. Cobrir o nariz e a boca quando espirrar ou tossir.
  4. Não tocar nas mucosas dos olhos, nariz e boca.
  5. Lavar as mãos após tossir ou espirrar. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está atualmente desencorajando o uso de restrições de viagens e comércio. A classificação nos pontos de entrada (portos, aeroportos e fronteiras) também não é recomendada. 

O ideal no momento é seguir as recomendações e evitar viagens para outros locais, principalmente nos locais onde há suspeita do vírus. 

Para você ter uma ideia, o caso é tão grave que no dia 28 de janeiro deste ano (2020) a OMS orientou que viagens para a China só devem ser realizadas em casos de necessidade extrema. Inclusive, pacientes que possuem sintomas de gripe e que tenha viajado nos últimos 14 dias que antecedem os sintomas, devem procurar um médico imediatamente. 

Aqui no Brasil, o Governo, junto com a OMS, já estão tomando medidas para caso a doença chegue aqui. A ideia é monitorar e melhorar a capacidade do país de agir diante de um  episódio como este, através da adoção das medidas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).  

O que é o COE e qual o objetivo dele?

O COE é o Centro de Operações de Emergência, um projeto que possui o objetivo de preparar a rede de saúde pública para o tratamento de possíveis casos no Brasil. A estrutura permite que dados e informações sejam analisados ​​para apoiar a tomada de decisões por gerentes e técnicos na definição de estratégias e medidas apropriadas para emergências de saúde pública.

Isso porque o SUS hoje não possui tratamento específico para o Coronavírus. Na realidade, o tratamento será feito com base nos sintomas do paciente, sendo os casos mais graves encaminhados para o hospital de referência da sua região, para que o paciente seja isolado e tratado. 

Aqui ressaltamos, mais uma vez, a importância do paciente ir ao médico assim que identificado os sintomas! Mesmo que pareça somente um resfriado. E a partir daí, a utilização dos EPIs passa a ser fundamental. 

Além disso, também é importante intensificar os procedimentos de limpeza e desinfecção e o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), de acordo com os protocolos. Converse com a sua equipe sobre os processos de Higienização do EPI e se precisar, conte com nossos conteúdos que trazem dicas para esse processo.    

Casos suspeitos de Coronavírus: o que fazer? 

Se você não é um profissional da área de saúde e está apresentado todos os sintomas, o ideal é ir para um pronto atendimento o mais rápido possível para passar por uma avaliação médica.  

Agora, se você é um profissional que vai lidar com pessoas contaminadas ou com suspeitas, o primeiro protocolo de atendimento é o isolamento do paciente. A fim de evitar maiores contaminações, todos os pacientes em suspeita do Coronavírus deverão ser mantidos em isolamento. 

Essa primeira triagem é necessária para que o tratamento adequado seja realizado, à partir do momento que o paciente é isolado deve usar uma máscara cirúrgica e preferencialmente ser mantido em uma sala privada.

Aqui na Prometal EPIs estamos em constante acompanhamento das notícias e torcendo para que não haja mais casos no Brasil. Até o dia 03 de fevereiro, foram 15 casos suspeitos em investigação em 7 estados do país, mas nenhum deles foi confirmado. 

São Paulo é o estado em que infelizmente apresenta mais casos suspeitos: no total são 7 sob suspeita e investigação. Fique atento ao nosso blog para continuar bem informado sobre os EPIs e o Coronavírus.

Continue a sua leitura com Como planejar a compra de EPI da minha empresa?

Registre-se
Notify of
guest
1 Comentário
Novos
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments


    Faça parte da nossa rede de contatos

    Estamos sempre em busca de novidades sobre equipamentos de segurança. Cadastre-se para recebê-las em seu e-mail.