Blog   EPIs   17 de maio de 2022

Como surgiu o EPI? Descubra a história do Equipamento de Proteção Individual!

por surfe

Tempo de Leitura: 6 minutos
Como surgiu o EPI

Conhece a história de como surgiu o EPI (Equipamento de Proteção Individual)? Esse tipo de equipamento é obrigatório em muitas áreas de atuação.

No entanto, a maioria das pessoas desconhece a motivação e como surgiu o EPI no mercado. Por isso mesmo, elencamos algumas informações e curiosidades sobre essa história.

Para que a partir de hoje, a sua curiosidade seja sanada e a própria história te ajude a motivar sua equipe a utilizar todos os equipamentos necessários para a segurança deles.

Afinal, entender a origem do uso de equipamentos de proteção individual pode servir como inspiração para que toda a sua equipe faça bom uso da proteção necessária para trabalhar diariamente.

E contar aos profissionais com propriedade durante o treinamento um pouco da história do EPI pode ajudar a fazer com que eles entendam que ter esses itens é um privilégio que precisa ser bem aproveitado.

Portanto, vamos para a leitura?

Como surgiu o EPI?

A história do EPI no Brasil surgiu legalmente no ano de 1943 quando em 1° de maio, houve o Decreto de Lei N° 5.452 que em seu artigo 160 determina quais são as atividades nas quais o empregador deve fornecer EPIs.

Essa história se inicia junto com a CLT (Consolidação das Leis de Trabalho), no entanto, desde muito antes alguns profissionais já utilizavam equipamentos de proteção.

A Lei apenas formalizou uma necessidade que já era percebida por empresas e profissionais. Tornando o uso de EPI obrigatório em algumas áreas de atuação profissional, com o objetivo de proteger as equipes.

Dessa forma, todos os profissionais poderiam atuar com a máxima segurança, evitando acidentes e riscos que não precisam estar expostos para uma boa atuação profissional.

Com a criação da Lei, todas as empresas passaram a ser obrigadas juridicamente a oferecer equipamentos de proteção para seus colaboradores. Garantindo assim, um ambiente mais seguro para atuar profissionalmente.

Resumidamente, pode-se dizer que o surgimento do EPI se dá justamente por uma necessidade coletiva que foi reconhecida e regulamentada por Lei. Possibilitando que todos os profissionais sejam beneficiados por um ambiente laboral mais seguro.

EPI é um item essencial em diversas áreas de atuação

Mesmo antes de se tornar um produto obrigatório, os equipamentos de proteção individual já eram utilizados em algumas áreas de atuação.

Isso porque os mesmos são produtos de extrema importância para proporcionar aos trabalhadores maior segurança e conforto durante a rotina de trabalho.

No entanto, por causa do custo, era comum que algumas empresas não oferecessem produtos de proteção, bem como, optassem por modelos que são mais precários.

Com a obrigatoriedade, a Lei passou a ser cumprida possibilitando que os profissionais recebessem o EPI de qualidade e de acordo com as normas da ABNT para máxima segurança do profissional.

Dessa forma, é possível minimizar os riscos de trabalhar em locais com condições adversas, como chão úmido, temperaturas muito elevadas ou muito baixas.

Em resumo, o uso de equipamentos de proteção individual é parte da rotina de alguns profissionais mesmo antes da Lei entrar em vigor.

Mas foi justamente essa mudança legislativa que fez surgir o EPI como item obrigatório e indispensável em várias funções. Possibilitando que o profissional esteja melhor adaptado ao ambiente e isso atenue os riscos, as doenças ocupacionais e até mesmo minimize o risco de morte no trabalho.

Quando a empresa é obrigada a fornecer EPI?

As empresas são obrigadas a fornecer EPI de acordo com o que rege o artigo 160 da Lei N° 5.452 e também a NR 6. Ou seja, são obrigadas a oferecer gratuitamente os equipamentos de proteção pertinentes ao cargo e atividade desempenhada por cada profissional.

Dessa forma, é dever do empregador fornecer o EPI de forma gratuita, orientar e exigir o uso, oferecer produtos que são aprovados pelo órgão nacional competente, que geralmente é a ABNT.

Além disso, a empresa precisa capacitar o profissional em relação ao uso adequado, acondicionamento e conservação do produto. Bem como, é dever da empresa substituir o item de proteção de forma imediata caso ocorra dano ou extravio.

A empresa também é responsável pela higienização e manutenção dos produtos de proteção que não são descartáveis. Bem como, deverá comunicar ao Ministério do Trabalho e Emprego qualquer irregularidade observada no cotidiano.

É fundamental registrar o fornecimento dos produtos de proteção pessoal através de livros, fichas ou sistemas eletrônicos. Garantindo assim, que a empresa tenha os dados de fornecimento caso algum acidente ocorra.

Afinal, é dever da empresa fornecer o EPI, observar se os equipamentos estão em boas condições de uso e orientar a equipe.

Caso os profissionais não estejam usando os EPIs conforme as orientações da empresa, é dever da gestão cobrar o uso correto. De modo que, todos estejam resguardados em caso de acidente.

Como surgiu o EPI ideal de cada área de atuação?

Outra curiosidade interessante é saber como surgiu o EPI de cada área de atuação especificamente. Tendo em vista que, cada convenção profissional faz surgir a obrigação de usar EPI de um tipo ou forma específica.

É o caso, por exemplo, dos profissionais de construção civil que utilizam diferentes cores de capacetes de proteção para que tenham facilidade de identificar uns aos outros no canteiro de obras.

Essas adaptações ocorrem por força das convenções coletivas de trabalho da área, bem como, por respeito às normas vigentes em relação ao tipo de EPI que cada profissional necessita.

É preciso que todo profissional responsável pela compra de EPIs conheça essas particularidades, para que possa fornecer os melhores itens de proteção para sua equipe.

Sempre respeitando os padrões estabelecidos pelas normas vigentes, para que a equipe esteja bem protegida e tenha o máximo de conforto no uso dos equipamentos de proteção.

Tendo em vista que, um dos principais fatores que fazem os profissionais abrir mão do uso correto do EPI é justamente a falta de qualidade que proporciona desconforto durante o uso.

Fazendo, assim, com que a equipe se sinta motivada a não utilizar ou fazer o uso inadequado para que o conforto não seja comprometido durante a rotina de trabalho.

Portanto, uma dica muito importante sobre equipamentos de proteção individual é sempre prezar pela qualidade. De modo que, sua equipe tenha produtos duráveis e confortáveis.

Muitas vezes, investir mais em qualidade possibilita que a empresa tenha bons resultados ao minimizar custos, por não precisar comprar os mesmos itens repetidas vezes ao longo do ano por causa de defeitos apresentados durante o uso.

Adeque o EPI para os profissionais de sua equipe

Alguns EPIs requerem atenção ainda maior com relação ao momento da compra, por causa da necessidade de adequar o tamanho para que o item proporcione conforto durante o expediente.

É o caso dos calçados ocupacionais, por exemplo, que requerem a numeração correta para que possam ser utilizados durante o cotidiano de trabalho. Você pode, inclusive, dispor de materiais que facilitem este processo, como o  nosso Medidor de Luvas de Segurança

Cada EPI possui especificidades e isso precisa ser considerado na hora de efetuar a melhor compra para sua equipe. 

É por isso que, os profissionais de vendas da Prometal EPIs, são especializados para esclarecer as suas dúvidas e garantir que os itens adquiridos possam se adequar à sua demanda atual.

Para que todos os trabalhadores tenham conforto durante o uso dos equipamentos, bem como, possam estar corretamente protegidos durante toda a rotina de trabalho.

Quando o EPI fornecido não é compatível com a função, o resultado pode ser de um acidente grave e processos trabalhistas. Onde a empresa responderá por não ter fornecido o EPI adequado e ter exposto o profissional ao risco de acidente sem a proteção necessária.

A compra de EPI é assunto muito sério e em caso de dúvidas, entre em contato conosco para auxiliar na assertividade para que a compra seja satisfatória.

Treine seus profissionais para utilizar EPI no cotidiano

Agora que já sabe como surgiu o EPI e qual a importância do uso de equipamentos de proteção individual não só para os profissionais, como também para a empresa, inclua esses dados em seu treinamento!

É fundamental que a empresa ofereça capacitações para que os colaboradores utilizem os EPIs com a máxima eficiência e tenham também os cuidados devidos para a manutenção dos produtos.

De modo que, seja possível manter a vida útil dos itens, evitando que a empresa precise trabalhar na substituição constante de materiais de proteção.

Ao prezar pela compra de itens de qualidade e orientar os profissionais com relação ao uso, limpeza e armazenamento, sua equipe consegue ter um bom custo benefício, possibilitando que os profissionais façam uso das peças e as mantenham em boas condições de funcionamento.

Além disso, é importante orientar que todos os profissionais entrem em contato com seus superiores caso os EPIs sofram algum dano.

Dessa forma, a empresa poderá proceder a substituição, tendo como objetivo garantir a eficiência da proteção ao fornecer um novo EPI.

Quando o assunto é proteção individual com eficiência máxima, conte com a equipe da Prometal EPIs! 

Nossa equipe especializada oferece atendimento individualizado, esclarecendo dúvidas e trabalhando em seu orçamento para que todos os EPIs de sua empresa sejam comprados com facilidade e total praticidade.

Garantindo, dessa forma, que sua equipe esteja protegida para desempenhar as funções diárias com a máxima eficiência. Entre em contato!

Registre-se
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments


    Faça parte da nossa rede de contatos

    Estamos sempre em busca de novidades sobre equipamentos de segurança. Cadastre-se para recebê-las em seu e-mail.