Blog   Notícias   15 de maio de 2020

EPIs no Coronavírus – Últimas notícias

Tempo de Leitura: 5 minutos
EPIs no Coronavírus

A situação da COVID-19 no Brasil infelizmente está a cada dia mais preocupante. Por este motivo, a importância dos EPIs no Coronavírus também cresce com o passar do tempo. No entanto, como será que anda a situação hoje em dia, se há uma semana já estava preocupante? 

Com dados atualizados em 11 de maio às 14h56, atualmente, são 11.123 mortes no país e dentro de um número de 163 mil casos confirmados. Lembrando que nem todo mundo realiza o teste para a doença, pois não há testes para toda a população. 

A notícia boa é que o número de casos de pacientes recuperados também tem crescido, ainda que lentamente. Hoje, são 64.957 pessoas livres da doença. Mesmo assim, é importante que mantenhamos todos os cuidados para evitar a contaminação e também a disseminação do vírus. 

Por isso, saia de casa somente se necessário; use sempre máscaras de proteção e use álcool gel (ou lave as mãos com água e sabão) com frequência. A quarentena continua, a pandemia ainda existe e nós precisamos ser realistas e cuidadosos. 

Se você deseja ficar por dentro das últimas notícias quanto aos EPIs no Coronavírus, fique de olho neste artigo! Iremos abordar o que houve de mais importante nos últimos dias para que você se mantenha sempre bem informado. Boa leitura! 

Últimas notícias sobre os EPIs no Coronavírus

Como os números aumentam todos os dias, as notícias também correm soltas. Por isso, se você gosta de se manter por dentro de tudo, precisa muitas vezes ficar lendo diversas informações diferentes em portais de notícias diversos.

Para facilitar para você, nós trouxemos neste artigo as três últimas notícias que julgamos mais importantes. Para que você consiga se atualizar em um só lugar, sem precisar ficar buscando informações em muitos sites diferentes. Portanto, nunca se esqueça: se você gosta de se manter atualizado, fique sempre de olho no blog da Prometal EPIs! 

Hoje iremos falar de cinco assuntos importantes que aconteceram nas últimas semanas. São eles: 

  • As principais profissões com risco de contágio, segundo pesquisas;
  • Denúncias sobre a falta de Máscaras de Proteção;
  • Mais de 109 milhões de EPIs doados a profissionais da saúde
  • Secretaria do Trabalho publica orientações para enfrentamento da Covid-19;
  • Resolução altera fabricação, importação e aquisição de EPIs. 

Vamos ver cada uma delas? Acompanhe! 

Profissões com Risco de Contágio

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ) mapeou o risco de contaminação pelo coronavírus em diferentes profissões. 

Como era o imaginado, algumas áreas se mostraram mais propensas à contaminação do que outras. É o caso dos Técnicos em Saúde Bucal, que apresentaram os resultados mais preocupantes, sendo a profissão mais vulnerável ao contágio. 

A pesquisa mapeou mais de 2,5 mil áreas profissionais em todo o território brasileiro e possui a mesma metodologia utilizada pelo New York Times, dos Estados Unidos. Assim, os pesquisadores utilizaram a Classificação Brasileira de Ocupações, do Ministério do Trabalho, e a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério da Economia. 

Dessa forma, o contexto de trabalho de cada uma das profissões pode ser avaliado pelos pesquisadores que deram foco, obviamente, nas consequências da Covid-19. Portanto, o resultado da pesquisa é muito importante para pensarmos em soluções para estas áreas. 

De acordo com o estudo, 2,6 milhões de profissionais da área de saúde possuem um risco de contágio acima de 50%. Dentre eles, conforme já mencionamos, os técnicos em saúde bucal são o pior indício, resultando em um total de 12,5 mil profissionais. Vale ressaltar ainda que, os profissionais de saúde bucal possuem 100% de risco de contágio, devido ao ambiente e aproximação aproximação física dos pacientes.

Profissionais do comércio, como vendedores varejistas, operadores de caixas, etc apresentam cerca de 53% risco de contaminação. Quanto ao setor de transportes, este risco torna-se superior a 70%. 

Professores também possuem um elevado nível de risco, resultando 70%. Por este motivo, inclusive, que a suspensão das aulas presenciais é tão importante. Este simples ato está ajudando a baixar este índice de contaminação na área. 

Estão faltando Máscaras de Proteção!

De acordo com um estudo realizado pelo portal de notícias G1, 87% das denúncias de médicos pela falta de EPIs no Coronavírus se referem às Máscaras de Proteção. Mais precisamente, as máscaras PFF2 sem válvula, que são equivalentes ao modelo internacional N95.

Em seguida, vêm óculos do tipo face shield (70%) e capote impermeável (66%).

Os dados da pesquisa são da Associação Médica Brasileira (AMB) possuem referência ao período de 19 de março a 12 de abril. Durante este tempo, foram 3.031 denúncias de médicos relatando não ter os EPIs necessários para trabalhar em segurança. 7

Segundo o Ministério da Saúde, a dificuldade está no fornecimento dos Equipamentos de Proteção Individual. Como cerca de 90% dos EPIs são fabricados na China, onde a produção foi encerrada devido a pandemia, hoje em dia os países importadores enfrentam uma verdadeira disputa para adquirir os produtos. 

EPIs a profissionais de saúde

Em contrapartida à notícia anterior, aqui trazemos uma notícia boa: no dia 15 de abril, o Ministério da Saúde iniciou a distribuição de 10,2 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) a profissionais de saúde para serem utilizados durante o atendimento aos pacientes infectados pela doença.

Nessa mesma ação, foram distribuídos:

  • 67.981 unidades de álcool em gel 70%;
  • 426.587 aventais;
  • 2,1 milhões de luvas de segurança;
  • 826.171 máscaras N95 (PFF2 sem válvula);
  • 6,4 milhões de máscaras cirúrgicas;
  • 3.280 óculos e 412.600 toucas. 

Além disso, também foram enviados R$ 746,2 mil para profissionais de segurança também no intuito de ajudar no combate à disseminação do vírus. Até hoje, já foram 71 milhões de EPIs distribuídos pelo Ministério da Saúde para a rede pública de saúde de todos os estados do país. 

Resultando em: 

  • 22,2 milhões de máscaras cirúrgicas;
  • 1,3 milhão de máscaras N95;
  • 89,6 mil frascos de álcool em gel;
  • 1,2 milhões de aventais;
  • 33,2 milhões de luvas;
  • 72,9 mil óculos de proteção;
  • 12,9 milhões de sapatilhas e toucas hospitalares.

Se você quiser, pode acompanhar a quantidade disponibilizada em cada estado em um painel online disponibilizado pelo Ministério da Saúde. O portal tem o intuito de informar à população todas as informações sobre o que foi comprado ou doado e distribuído para o enfrentamento da pandemia do Coronavírus.

Secretaria do Trabalho publica orientações para enfrentamento da Covid-19

A Secretaria do Trabalho publicou recentemente mais um documento com orientações específicas para os EPIs no Coronavírus. Dessa vez, foram apresentadas medidas que devem ser seguidas pelos empregadores e trabalhadores rurais a fim de diminuir a disseminação do vírus. 

O documento, nomeado de Ofício Circular SEI nº 1502, conta com 72 orientações, divididas nos tópicos:

  • ‘Medidas de caráter geral’;
  • ‘Práticas de boa higiene e conduta’;
  • ‘Práticas quanto às áreas de vivência’;
  • ‘Medidas referentes aos alojamentos’;
  • ‘Às frentes de trabalho’;
  • ‘Práticas referentes ao SESTR e CIPATR’;
  • ‘Referentes ao transporte de trabalhadores (quando fornecido pelo empregador)’;
  • ‘Práticas referentes às máscaras de proteção’;
  • ‘Suspensão de exigências administrativas em SST’;
  • ‘Práticas referentes aos trabalhadores pertencentes a grupo de risco’; e 
  • ‘Disposições gerais’.

Para profissionais que atuam em serviços da área da saúde, supermercados, postos revendedores de combustíveis, frigoríficos, construção civil, telesserviços e trabalhadores domésticos também foram publicados ofícios com orientações específicas. 

Confira aqui as orientações específicas.

Resolução altera fabricação, importação e aquisição de EPIs

A Resolução – RDC nº 379, de 30 de abril de 2020 determina os requisitos para a fabricação, importação e aquisição de dispositivos médicos identificados como prioritários para uso em serviços de saúde. 

Segundo a documentação, “a fabricação, importação e aquisição de máscaras cirúrgicas, respiradores particulados N95, PFF2 ou equivalentes, óculos de proteção, protetores faciais (face shield), vestimentas hospitalares descartáveis (aventais/capotes impermeáveis e não impermeáveis), gorros e propés, válvulas, circuitos e conexões respiratórias para uso em serviços de saúde ficam excepcional e temporariamente dispensadas de Autorização de Funcionamento de Empresa, da notificação à Anvisa, bem como de outras autorizações sanitárias.”

A Resolução também menciona algumas informações específicas quanto a fabricação de máscaras cirúrgicas, protetores faciais, respiradores filtrantes para partículas (PFF) e vestimentas hospitalares. Além disso, menciona também a importação de EPIs e outros dispositivos médicos que estão sendo fundamentais na luta contra o Coronavírus. 

Confira aqui, o texto completo.

Para mais informações, fique sempre ligado no blog da Prometal EPIs!

Estamos juntos contra o Coronavírus.  

Continue sua leitura com Qual respirador utilizar para a prevenção do Coronavírus?

Registre-se
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments


    Faça parte da nossa rede de contatos

    Estamos sempre em busca de novidades sobre equipamentos de segurança. Cadastre-se para recebê-las em seu e-mail.