Blog   EPIs   12 de julho de 2021

A diferença entre o capacete classe A e classe B

Tempo de Leitura: 6 minutos
capacete classe A e classe B

Você sabe a diferença entre o capacete Classe A e o Classe B? Bem, vamos começar do início. 

A segurança do trabalho tem como objetivo promover medidas que resultem na redução de riscos à vida do trabalhador, além do desenvolvimento de diversas possíveis doenças ocupacionais. 

Este serviço é um dever de todos, uma vez que cada um deva fazer a sua parte pela segurança profissional nas empresas. Para isso existem os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho, também conhecido pela sigla SESMT. 

O grupo em questão procura promover dentro de empresas as boas práticas, que visam a proteção e o conforto dos funcionários, sendo considerado de vital importância para qualquer tipo de empreitada.

Os EPIs, Equipamentos de Proteção Individual, contribuem de forma integral com este objetivo. Toda companhia que preste qualquer serviço perigoso, segundo a Norma Regulamentadora 6, tem a obrigação de fornecer todos os equipamentos necessários para que os empregados se mantenham seguros da cabeça aos pés. 

E começando pela parte de cima, temos os capacetes, que são o tema de hoje. Se você quer saber mais sobre o uso deste produto essencial ou se você possui dúvidas sobre os diferentes tipos disponíveis no mercado e suas classificações, continue lendo o artigo a seguir.

O Capacete de Segurança: um EPI Fundamental

Muitas pessoas sabem o que é um capacete, em suma, mas poucas delas sabem que este EPI tão famoso precisa seguir algumas especificações determinadas por lei.

 Em primeiro lugar, devemos observar se o produto em questão possui um CA, um certificado de aprovação emitido pelo Ministério da Economia, que comprove que aquele item pode ser comercializado e que ele foi fabricado de acordo com as especificações também determinadas por lei. 

Qualquer capacete que não possua um CA, não deve ser adquirido ou utilizado em nenhuma situação. Ele é uma espécie de garantia do item que dá uma segurança no momento da compra do EPI. 

Em segundo lugar, devemos observar se o produto está dentro do prazo de validade. Sim, todo capacete possui um prazo de validade e, apesar de muitas pessoas desconhecerem esta informação, ela determina o período dentro do qual aquele equipamento pode ser utilizado sem nenhum tipo de prejuízo. 

Qualquer capacete vencido, ou seja, que já extrapolou esta janela de tempo, deve ser automaticamente jogado fora, seguindo uma metodologia de descarte correta e sustentável.  

Do que os Capacetes são feitos?

A maioria dos cascos dos capacetes são compostos por PEAD ou, esclarecendo, polímero polietileno de alta densidade. Este tipo de material não tem grande durabilidade, e apresenta uma resistência menor. 

Existem outros modelos que são compostos por ABS, ou melhor, copolímero de acrilonitrila butadieno estireno, um tipo de material que por sua vez, tem grande durabilidade e apresenta uma resistência maior. 

A suspensão dos capacetes (aquela parte que é fixada à cabeça) pode ser feita com plástico flexível, que tem grande durabilidade, mas na maioria dos casos, não é tão adequado. Já outros modelos de suspensão são compostos por materiais diferentes. 

Dentre os exemplos, podemos citar o arco em termoplástico flexível e as cintas em tecido, que tem durabilidade razoável e boa adequação ao uso diário. Lembre-se de que o valor de um equipamento pode ser definido pela qualidade dos materiais. Não use um produto inadequado só por causa do preço baixo. 

Quais São os Tipos de Capacete?

Os capacetes de segurança podem ser divididos em três categorias, independentemente da sua apresentação de classe de risco. Confira:

  1. Capacete Tipo 1: é o capacete que possui a aba total. Ou seja, a aba circula todo o perímetro do equipamento, protegendo a cabeça de qualquer ângulo além do rosto, nuca e etc.
  2. Capacete Tipo 2: é o capacete que possui a aba frontal. Ou seja, a aba só cobre a porção frontal do equipamento, protegendo o rosto e a cabeça de um ângulo específico.
  3. Capacete Tipo 3: é o capacete que não possui aba. Ou seja, a ausência da aba faz com que o equipamento não proteja a cabeça de ângulo algum, no entanto, é ideal para trabalhos em altura, por exemplo, onde o trabalhador precisa ficar olhando para cima. 

Como é o design de um Capacete? Como ele influencia o conforto?

O design de um capacete é composto por uma série de elementos, que além de proteger, disponibilizam funcionalidades e ditam o conforto da peça. Em primeiro lugar estão as abas, que além de definirem os tipos de capacete, servem para bloquear o excesso de luminosidade. 

Em segundo lugar estão as ranhuras, que servem para dissipar a energia de qualquer impacto pela superfície do equipamento. Lembre-se de que quanto mais fina for a matéria-prima, mais ranhuras o equipamento vai precisar ter. 

Em terceiro lugar estão as canaletas laterais, mais conhecidas como ”slots” do capacete,  que servem de apoio para outros itens, sejam eles de proteção ou não. Normalmente elas são úteis para usuários que precisam ser multitarefa. 

Em quarto lugar está a suspensão, que serve para posicionar o casco na cabeça, podendo ser ajustada de acordo com o tamanho e formato do usuário. Em quinto e último lugar estão os pontos de apoio e as cintas de suporte, que servem para distribuir o peso dos componentes e mantê-los no lugar.

Quanto maior for o número destes itens, maior será a estabilidade do equipamento e consequentemente, a comodidade.  

O que as diferentes cores de Capacete indicam?

As cores dos capacetes também podem ser uma característica importante, que devem ser levadas em consideração no momento de escolha do equipamento. Cada cor pode indicar uma determinada função dentro de uma companhia ou empreendimento (obra), por exemplo. 

Utilizar estas indicações facilita o reconhecimento de profissionais num momento de emergência, por exemplo, ou num momento de dúvida. É válido comentar que estas são apenas sugestões não normalizadas, ou seja, a maioria das empresas usa este tipo de caracterização, porém, ela não é obrigatória ou prevista por lei. 

Cada negócio pode usar os capacetes como preferir, ou então, criar um novo padrão de cores.   

  • Azul: pedreiros;
  • Vermelho: carpinteiros e bombeiros;
  • Laranja: eletricistas;
  • Verde: operários e serventes;
  • Amarelo: visitantes;
  • Preto: técnicos em segurança do trabalho;
  • Branco: mestre de obras.

Qual é a diferença entre o Capacete Classe A e o Capacete Classe B?

Podemos dizer que o capacete classe A é aquele indicado para a proteção contra impactos de objetos. Já o capacete classe B é aquele indicado para a proteção contra impacto, mais a proteção contra riscos elétricos. 

Em outras palavras, o capacete classe A é aquele utilizado para impedir que a cabeça do trabalhador sofra com a queda de qualquer tipo de elemento, seja uma ferramenta ou uma matéria prima. 

O capacete classe B é aquele que adiciona a esta mesma utilidade, citada anteriormente, o isolamento elétrico, verificado através de testes de descarga com até 30 KV. 

Você Sabia? O capacete classe C existe, porém, o mesmo é indicado apenas para pancadas contra objetos fixos no ambiente, ou seja, eles praticamente não servem para proteção contra impactos de queda e definitivamente não servem para proteção elétrica. 

Como saber que tipo de Capacete devo utilizar?

Identificar qual é o tipo de capacete apropriado é uma tarefa simples. Basta considerar os elementos de classificação citados anteriormente e compará-los com os riscos identificados previamente através de um PPRA (ou PGR).

É fundamental considerar todas as possibilidades de acidentes, que podem envolver a função de um funcionário ou a função de um colega de ofício. Um pedreiro, por exemplo, pode sofrer risco de descarga elétrica trabalhando em determinadas obras. Assim como um eletricista pode sofrer risco de queda de objetos. 

Estes riscos deverão ser previamente identificados, analisados, avaliados e, se possível, eliminados. Quando isso não for possível, deverão ter seus impactos atenuados, através dos EPIs como o Capacete de Segurança por exemplo. 

Cuidados com o Capacete de Segurança

Os capacetes são um tipo de equipamento que exige manutenção, assim como qualquer outro. Não lave seu capacete (submergir), porém, se de extrema necessidade, remova a suspensão antes de começar. 

Utilize produtos próprios para a remoção de sujeira grossa, combinados com água em temperatura morna e sabão ou detergente neutro. Nunca utilize produtos corrosivos, que podem destruir a superfície do equipamento e prejudicar  a proteção do usuário. 

Para a remoção de sujeira fina, use um pano macio e úmido já é o suficiente. Lembre-se sempre de deixar seu capacete secar antes de voltar a usá-lo. 

Não utilize o capacete de maneira incorreta, como para transportar equipamentos ou outras substâncias, como alimentos e água. Isso pode enfraquecer a estrutura e consequentemente prejudicar a usabilidade do item. 

Lembre-se sempre de fazer uma higienização simples pós uso e de guardá-lo em um local seco e arejado, longe dos raios solares, que também podem causar danos irreparáveis à peça. 

Onde posso encontrar os melhores Capacetes?

Você pode encontrar os melhores capacetes aqui, na Prometal EPIs. 

Estamos há quase 30 anos no mercado, fornecendo para você, trabalhador, os melhores tipos de equipamentos para proteção. São mais de 4.000 à pronta entrega, disponíveis para garantir a preservação do seu bem-estar. 

Se ainda restou alguma pergunta, comente abaixo. Um dos membros da nossa equipe vai te responder o mais rápido possível. Se preferir, entre em contato direto conosco. Se você gostou deste artigo, compartilhe com seus colegas. Eles com certeza vão querer saber um pouco mais sobre capacetes e a diferenciá-los. 

Registre-se
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments


    Faça parte da nossa rede de contatos

    Estamos sempre em busca de novidades sobre equipamentos de segurança. Cadastre-se para recebê-las em seu e-mail.