Blog   EPIs   08 de janeiro de 2018

Qual o peso máximo que o cinturão de segurança suporta?

Tempo de Leitura: 2 minutos

trabalho altura cinto segurança

Hoje, o blog Pensou Proteção vai falar sobre proteção no trabalho em altura para trabalhadores com mais de 100kg. Assunto delicado que gera muitas dúvidas no dia a dia das empresas. Por isso, o nosso fornecedor Ansell | Hercules vai explicar sobre os cintos de segurança da Hercules:

Trabalhador com mais de 100kg, pode utilizar o cinturão de segurança contra queda?

Sim, em função dos ensaios realizados para obtenção do CA, podemos afirmar que o cinturão pode ser utilizado por um trabalhador com mais de 100kg, porém isso não garante a integridade física em caso de queda. Para se entender essa questão temos que analisar a situação do trabalhador em altura, levando em consideração as práticas ideais. Neste caso: Massa do Trabalhador.

Antes de se falar do equipamento em si, temos que avaliar se o trabalhador em questão tem condições físicas e de saúde para exercer a função. Neste caso cabe ao empregador, através do SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho), a avaliação do trabalhador para determinar se este está ou não apto ao trabalho. Deve-se avaliar que se um trabalhador tem 100kg ou mais, pode ou não significar obesidade. Muitas pessoas com peso abaixo de 100kg são consideradas obesas e inaptas para o trabalho. Somente um médico do trabalho poderá avaliar com precisão.

É proibido um trabalhador com ais de 100kg trabalhar em altura?

Não existe nenhuma base legal que proíba um trabalhador com mais de 100kg de executar um trabalho em altura. As NBR’s de EPI, especificam uma massa de 100kg como padrão de teste em uma condição limite. Elas determinam metodologia e requisitos de ensaios relativos a produtos e não como procedimento de trabalho. Um cinturão de segurança tem como função criar pontos de conexão no corpo do trabalhador e distribuir o impacto gerado em uma queda nestes pontos ao longo do corpo. O impacto recebido estará ligado diretamente ao sistema de absorção de energia que é utilizado durante o trabalho.

As normas de ensaio testam os produtos nas piores situações: Os ensaios são realizados em uma queda fator 02, que significa uma queda com o dobro do comprimento do talabarte utilizado em uma massa de 100kg. Quando falamos de um trabalhador com mais de 100kg, se colocarmos este em uma situação crítica de queda (fator 02), a queda irá gerar uma energia maior para o qual o absorvedor de energia não foi dimensionado. Isso implica que o cinturão aguente uma força estática de aproximadamente 1500kgf (Conforme o ensaio de norma) ele irá suportar o impacto, porém o trabalhador irá absorver a energia restante gerada pela desaceleração brusca podendo ocasionar lesões e até óbito.  A solução é não expor o trabalhador a condições críticas de queda. Lembrando que nas situações onde o fator de queda é menor que 1, havendo queda a força de parada não comprometeria a estrutura física do trabalhador, desta forma criando um cenário favorável para o uso do equipamento por pessoas acima de 100kg.

Importante: os cinturões de segurança podem suportar um trabalhador com mais de 100kg, porém se o sistema não for dimensionando para reduzir o impacto de uma queda, este poderá lesionar o trabalhador mesmo sem bater em nada durante a queda.

Fonte: Ansell | Hercules

Registre-se
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments


    Faça parte da nossa rede de contatos

    Estamos sempre em busca de novidades sobre equipamentos de segurança. Cadastre-se para recebê-las em seu e-mail.