Blog   EPIs   03 de agosto de 2021

Respirador PFF2: Mitos e verdades!

Tempo de Leitura: 5 minutos

O Respirador PFF2 é um equipamento que vem sendo muito utilizado há mais de um ano, devido à pandemia do Coronavírus. É um tipo de produto para a Proteção Respiratória, utilizado em diversas áreas profissionais, que vão desde a área da saúde até pintura.

Serve para proteger as vias aéreas do trabalhador contra poeiras, névoas e fumos, além de contaminantes biológicos. Por este motivo, é de fundamental importância, já que evita muitos tipos de contaminação que podem acontecer por essas vias.

Na hora de utilizar um EPI, é muito importante ter certeza de que aquele é o correto para sua necessidade. Isso porque a utilização incorreta pode acarretar em exposição direta ao risco, ou seja, probabilidade de acidentes ou doenças ocupacionais.

Até porque, para quase todo tipo de EPI, existem algumas variáveis bem singelas e muitas vezes quase imperceptíveis, mas que fazem toda a diferença na hora da proteção. Por isso, se você deseja saber mais sobre o Respirador PFF2, fique ligado neste artigo!

O que é o Respirador PFF2? 

O Respirador PFF2 é um equipamento de proteção individual que possui o intuito de proteger o trabalhador contra a inalação de contaminantes pelas vias respiratórias. É de uso recomendado para todas as situações em que a concentração de um agente contaminante não esteja maior do que 10x o limite de tolerância.

Em termos técnicos, este EPI tem eficácia mínima de 94% e penetração máxima de 6%, e é isso que o torna eficiente contra o coronavírus. Qualquer outro equipamento com valores diferentes destes poderá ser ineficiente e não oferecer a proteção desejada para o contato com o vírus. 

No início da quarentena, ainda no ano passado, este equipamento entrou em escassez no mercado, já que todas as pessoas passaram a buscar por ele desesperadamente. Isso foi um problema pois, profissionais que já utilizavam o EPI para desenvolver suas atividades acabaram ficando sem o equipamento.

Foi desta forma que a ANVISA decidiu recomendar o uso de Máscaras de Tecido pela população, ao invés do EPI. Também foi nessa época que a vida útil do equipamento, mesmo depois de utilizado, foi expandido para 5 dias, quando conservado corretamente.

Fabricado em TNT (tecido não tecido) para uso específico médico-hospitalar, ainda possui tecido sintético, 100% polipropileno atóxico em sua composição. É produzido com duas lâminas de TNT e um meio filtrante através das microfibras sintéticas que são tratadas de forma eletrostática.

Mesmo o produto tendo seu uso estendido, é imprescindível efetuar a troca sempre que não estiver mais em condições de uso ou for detectada alguma alteração no cheiro, por exemplo. 

Agora que você já sabe o que é o Respirador PFF2, veja alguns dos principais mitos e verdades sobre o equipamento! 

O Respirador PFF2 é considerado um EPI 

Verdade! O Respirador PFF2 é considerado um EPI e os motivos são simples:

1) Ele é um produto que oferece proteção individual para o trabalhador contra agentes de risco;

2) Ele está listado no Anexo I da NR 6 como item de Proteção Respiratória; e

3) Possui Certificado de Aprovação (CA) emitido pelo Ministério da Economia (antigo Ministério do Trabalho e Emprego).

Para que um produto seja considerado EPI, é necessário que ele seja afirmativo para essas três categorias que vimos acima. No caso do Respirador PFF2, ele se encaixa nas três opções e, portanto, pode ser considerado oficialmente um EPI.

Isso o torna de fornecimento obrigatório por parte do empregador e de uso obrigatório por parte do trabalhador, que se compromete para tal. 

É um produto descartável

Verdade, porém, não agora! 

É verdade que o Respirador PFF2 é um produto descartável, no entanto, devido à pandemia do Coronavírus, alguns fabricantes estenderam este prazo por um turno. O motivo foi a escassez do produto que, durante o ano passado, não se encontrava mais no mercado.

No entanto, a não ser nessas situações, o EPI é descartável sim e deve ser de uso único.

PFF2 está em falta no mercado

Mito! Hoje em dia, o Respirador PFF2 não está mais em escassez no mercado, mas isso foi verdade no ano passado. Devido a grande procura inicialmente pelo EPI, as fábricas, importadores e distribuidores do produto não deram conta da demanda.

Por este motivo, o EPI entrou em falta e estava difícil de ser encontrado. No entanto, hoje em dia, a situação já está praticamente normalizada. Somente algumas marcas possuem EPI em falta. 

EPI PFF2 é muito caro 

Mito! Muitas pessoas deixam de adquirir o Respirador PFF2 e optam pela máscara de tecido porque pensam que o EPI é muito caro. Pelo contrário! Muitas vezes, ocorre da máscara de tecido ser ainda mais cara que o equipamento.

Aqui na Prometal EPIs, por exemplo, você encontra PFF2 a partir de 1,80 a unidade. Você considera este valor caro? 

Todo Respirador PFF2 é eficiente contra o Coronavírus

Mito! Nem todo Respirador PFF2 é eficiente contra o Coronavírus. Isso porque existem dois modelos distintos: o PFF2 com válvula e o modelo sem válvula. Somente um deles é eficaz contra o coronavírus, você sabe qual seria?

A resposta é o PFF2 sem válvula! Isso porque este objeto serve para expelir o ar quente e úmido que está dentro da máscara. No entanto, não possui filtro! Assim, se o usuário estiver contaminado, poderá sair espalhando o vírus por aí.

Portanto, contra o Coronavírus, é PFF2 sem válvula! 

PFF2 é equivalente a N95

Verdade! N95 é o nome dado ao respirador utilizado no mundo todo contra o Coronavírus. Ele oferece nível de proteção de 95% e, por isso, pode ser considerado equivalente (no caso do PFF2 sem válvula).

A diferença é que o N95 é regido pela NIOSH, norma americana, enquanto o PFF2, pelas normas brasileiras, mais precisamente a NR 6. 

PFF2 é uma máscara 

Mais um mito! Em termos técnicos, máscara não tem eficácia para a Proteção Respiratória. Seria, por exemplo, um óculos ou algo para tapar o rosto. Agora, quando um filtro é adicionado a uma máscara, esta torna-se um Respirador.

Portanto, PFF2 não é uma máscara mas, sim, um Respirador, já que ele mesmo é a própria peça filtrante. 

PFF1, PFF2 e PFF3 é a mesma coisa

Mito também! Cada um destes respiradores oferece proteções diferentes e por isso devem ser levados em consideração antes de adquirir qualquer produto.

O PFF1 / P1 é utilizado contra Poeiras e/ou Névoas (aerossóis mecanicamente gerados), sempre que a concentração for menor do que 10x o limite de tolerância. Possui eficiência mínima de 80% e penetração máxima de 20%.

O PFF2 / P2, que estamos falando neste artigo, é indicado, portanto, contra Fumos (aerossóis termicamente gerados) e/ou de toxidez desconhecida, além de agentes biológicos. Deve ser utilizado desde que a concentração não seja maior que 10x o limite de tolerância. Oferece eficiência mínima de 94% e penetração máxima de 6%.

Já o PFF3 / P3, oferece proteção somente contra particulados altamente tóxicos (LT < 0,05 mg/m³) e/ou de toxidez desconhecida. Deverá ser utilizado quando o ambiente estiver até 10x o limite de tolerância do contaminante. Possui eficiência mínima de 99,7% e penetração máxima de 0,03%.

Lembrando que PFF é a sigla para peça facial filtrante, quando ocorre do próprio equipamento já possuir em si a peça filtrante, e não necessita portanto ser acoplado. Já os indicadores P1, P2 e P3, são os filtros utilizados em respiradores com manutenção, onde há a necessidade de acoplar a peça filtrante. 

Respirador PFF2? É na Prometal EPIs!

Precisando de Respirador PFF2? Confira nossas opções a partir de R$ 1,80. Se tiver dúvidas, entre em contato pelo chat amarelinho do canto da tela.

Continue a sua leitura com Sapato de Segurança: Onde utilizar? Conheça os principais modelos!

Registre-se
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments


    Faça parte da nossa rede de contatos

    Estamos sempre em busca de novidades sobre equipamentos de segurança. Cadastre-se para recebê-las em seu e-mail.