Blog   EPIs   25 de maio de 2018

Enfermagem: Quais são os EPIs adequados?

Tempo de Leitura: 8 minutos

O risco em ambientes hospitalares ou naqueles em que o profissional de Enfermagem está atuando é algo que faz parte do dia a dia destes profissionais. Para cuidar da saúde dos pacientes, é preciso incluir mais do que a formação certa para área: a proteção é fundamental. Por isso, os EPIs para Enfermagem são obrigatórios e tão importantes para o exercício da atividade.

No entanto, é imprescindível que os equipamentos sejam escolhidos de maneira adequada. Utilizar ou fornecer EPIs inadequados faz com que o trabalhador fique exposto diretamente ao risco, o que é muito perigoso para sua integridade física.

Além disso, expõe também o empregador a riscos judiciais, uma vez que dessa forma não estaria cumprindo com suas obrigações de empresário. Uma delas é fornecer o Equipamento adequado ao risco, sempre que houver essa necessidade.

Por este motivo, conhecer os EPIs para Enfermagem bem como as melhores marcas e opções do mercado acaba sendo uma facilidade e tanto. Pois para oferecer uma proteção adequada, é preciso que você saiba com o que pode contar. 

Quer saber como proteger o trabalhador de Enfermagem da forma correta? É enfermeiro e busca mais informações sobre o tema? Essa matéria foi feita para você, leia até o final e descubra a importância e quais os EPIs de Enfermagem são necessários.

NR 32 – o que você precisa saber sobre a regulamentação

Profissionais de enfermagem estão em contato direto com diversos pacientes, prestando os mais diferentes cuidados. O uso dos Equipamentos de Proteção Individual certos na área de enfermagem são tão importantes que constam na NR-32, específica para trabalhadores da área da saúde.

Os EPIs de Enfermagem protegem o profissional dos riscos de contaminação e proporcionam ainda mais qualidade no atendimento. Além de proteger os pacientes com alguma sensibilidade que não podem contrair nenhum tipo de vírus com risco de ir à óbito.

A norma regulamentadora 32 tem o objetivo de definir as diretrizes básicas para o trabalho na saúde, evitando acidentes com objetos perfurantes – como seringas – e até infecção por vírus ou bactérias, determinando os EPIs para Enfermagem que promovem a segurança do trabalhador.

A NR 32 – Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde abrange as situações de exposição aos diversos agentes de risco presentes no ambiente de trabalho, como os agentes de risco biológico; os agentes de risco químico; os agentes de risco físico com destaque para as radiações ionizantes; os agentes de risco ergonômico.

O texto regulamentador ainda prevê que todos os trabalhadores sujeitos ao risco de exposição por agentes biológicos devem utilizar vestimenta adequada, incluindo o traje na lista de EPIs para enfermeiros e outros profissionais.

Seguir o que diz as Normas Regulamentadoras é um dever de todas as empresas que admitem funcionários em regime CLT. Por este motivo, é fundamental que você conheça todas aquelas que possuam relação com as atividades desenvolvidas pela sua companhia para que possa seguir direitinho a legislação.

Últimas alterações na NR 32

Desde a sua publicação, 08 de junho de 1978, a NR 32 sofreu três atualizações diferentes. A primeira delas veio após a 54ª Reunião Ordinária da CTPP, realizada em 13 de agosto de 2008, através da Portaria MTE nº 939, de 18 de novembro de 2008. 

Nesta primeira mudança, ficou determinado o cronograma de implementação para os requisitos dispostos no subitem 32.2.4.16 da norma. Além disso, também tornou-se obrigatória a substituição dos materiais perfurocortantes por outros que possuem dispositivo de segurança, incluindo dois subitens que versam sobre a capacitação sobre dispositivos de segurança de materiais perfurocortantes.

Depois, ainda na mesma questão sobre a obrigatoriedade de substituição dos materiais perfurocortantes, em 2011, foi aprovada a inclusão do Anexo III. Este anexo é responsável por determinar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes. 

Em 2019 ocorreu a terceira e mais recente atualização da norma onde foram retirados os itens que se referiam à capacitação para que a norma se adequasse ao texto da Nova NR 1. Este texto foi submetido e aprovado sob consenso durante a 97ª Reunião Ordinária da CTPP, realizada entre 04 e 05 de junho de 2019.

Dessa forma, os itens 32.11.1, 32.11.2, e 32.11.4 foram revogados pela Portaria SEPRT n.º 915, de 30 de julho de 2019. 

Descarte dos EPIs para Enfermagem

EPIs hospital enfermagem nr 32

O descarte, manipulação e fracionamento de produtos químicos, desde a retirada de sangue até a divisão de medicamentos, deve ser feita em local apropriado para este fim, com sinalização visual e uso obrigatório de EPIs.

Veja um vídeo com a demonstração da maneira correta da retirada das luvas contaminadas aqui!

E é sempre importante lembrar o que diz a NR 6: é obrigação do empregador oferecer gratuitamente a proteção completa contra os acidentes de trabalho. É importante estar atento à disponibilidade destes materiais.

Se você é um profissional da área que trabalha de forma autônoma, deve ter conhecimento sobre os EPIs de Enfermagem e adotar as medidas de segurança no dia a dia de trabalho.

Lembre-se que assim como fornecer os EPIs, descartá-los com responsabilidade faz parte dos deveres do empregador. Portanto, fique atento ao destino que dará aos equipamentos após perderem sua validade. 

Para saber o destino correto de cada equipamento, é preciso saber quais os riscos que o produto foi submetido. Dessa forma, lembre-se de que o descarte deverá ser feito seguindo o tipo de EPI, o material que é feito e qual a contaminação ele carrega ou não.

Vamos usar como exemplo um trabalhador que realizava atividades em ambientes com exposição a produtos químicos. Neste caso, o EPI irá possuir um risco agregado a ele, e por isso deverá ser descartado separadamente dos demais. Indicando, inclusive, ser um material com potencial de contaminação.

Já aqueles Equipamentos que não possuírem riscos agregados, ou seja, só estiverem  invalidados para o uso, estes deverão ser descartados como lixo comum. É preciso ter conscientização quanto ao processo de coleta para reciclagem para que seja feito o Descarte correto dos EPIs para enfermagem. 

O que diz a Legislação?

Segundo a legislação, uma informação importante para o descarte dos EPIs contaminados ou não é a organização por classes. Resíduos que são designados como  Classe I são aqueles considerados perigosos, pois carregam consigo uma possível fonte de contaminação. 

Já aqueles resíduos de Classe II, são considerados não perigosos ou não contaminantes e, por isso podem ser descartados em lixo comum ou separado de acordo com o material para a reciclagem.

Vale ressaltar que a mesma luva de segurança de um profissional da enfermagem pode ser descartada de duas maneiras: como lixo contaminado ou não. O que irá diferenciar será as atividades que foram executadas com o EPI, como por exemplo, se teve contato com produtos químicos, radioativos, ou vírus e bactérias. 

O que diz a NR-32 sobre EPIs de Enfermagem

  • Os Equipamentos de Proteção Individual – EPI, descartáveis ou não, deverão estar à disposição, em número suficiente, nos postos de trabalho, de forma que seja garantido o imediato fornecimento ou reposição;
  • Além do cumprimento do disposto na legislação vigente, os Equipamentos de Proteção Individual– EPI devem atender às seguintes exigências: ser avaliados diariamente quanto ao estado de conservação e segurança; estar armazenados em locais de fácil acesso e em quantidade sufi ciente para imediata substituição; segundo as exigências do procedimento ou em caso de contaminação ou dano;
  • Com relação aos quimioterápicos antineoplásicos é vedado: iniciar qualquer atividade na falta de EPI;
  • É proibido movimentação de cilindros de gases sem EPIs adequados;
  • Devem ser elaborados manuais de procedimentos relativos à limpeza, descontaminação e desinfecção de todas as áreas, incluindo superfícies, instalações, equipamentos, mobiliário, vestimentas, EPI e materiais.

Sabendo destas informações, chegou a hora de conferir a lista dos EPIs essenciais para a Enfermagem, preservando a saúde do trabalhador.

O uso é mais que obrigatório dos EPIs de Enfermagem, ele é o responsável por minimizar danos no ambiente e oferecendo as melhor condições para o exercício da atividade.

A lista básica de itens de EPIs de Enfermagem

  • Luva: EPI básico para proteção contra riscos biológicos e químicos, sendo os tipos mais resistentes adequados para manipulação de produtos mais contaminantes.
  • Avental: também chamado como ‘capote’, é um EPI muito usado em centro cirúrgico e ajuda na barreira contra substâncias e deve ser sempre descartável.
  • Sapatos fechados: o empregador deve fornecer a opção de um EPI para profissionais de enfermagem que atenda a NR-32, a qual impede uso de sapatos abertos.
  • Respiradores: junto com a luva, funcionam como a combinação básica de EPI para enfermeiros, combatendo acidentes de risco biológico e a contaminação respiratória.
  • Óculos: impede exposição dos olhos aos componentes radioativos, químicos e outros componentes.

NR 32, Enfermagem e a Covid-19 

A NR 32 colabora para evitar a disseminação do Coronavírus já que apresenta itens voltados especificamente aos riscos biológicos em seu texto, como os 32.2.1 a 32.2.4.17.7. Essas orientações determinam as questões de higienização, vestimentas, Equipamentos de Proteção Individual – EPI e capacitação.

“Sem dúvida o ponto mais relevante da NR 32 para a prevenção neste cenário é a ênfase na lavagem das mãos, sendo que a Norma possui itens específicos abordando tanto a obrigatoriedade do serviço disponibilizar pias em pontos específicos, quanto às atitudes mais adequadas dos profissionais de saúde em relação a isso”, diz Érica Lui Reinhardt, bióloga e doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo – USP, em entrevista à Revista Proteção.

Se tratando da Enfermagem e dos demais profissionais da saúde, é imprescindível olhar as orientações do Ministério da Saúde, como a Nota Técnica Nº 04/2020 da Anvisa. Este documento determina todas as medidas de prevenção e controle que deverão ser adotadas nos momentos de assistência aos casos suspeitos ou confirmados de infecção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Veja outro trecho da entrevista com a pesquisadora da Fundacentro:

“As medidas de proteção individual são mais eficientes quando associadas a medidas de organização do trabalho, como a correta e precoce identificação e o manejo dos casos suspeitos. Esta é, portanto, a etapa realmente crucial para a prevenção da disseminação da doença nos serviços e de proteção dos profissionais. Identificado o caso suspeito, o profissional de saúde deverá usar os EPIs adequados durante todo o atendimento, sendo que normalmente eles compreendem: 1) gorro; 2) óculos de proteção ou protetor facial; 3) máscara cirúrgica; 4) avental impermeável de mangas compridas; 5) luvas de procedimento”.

PFF2 

As tarefas que oferecerem aos trabalhadores o risco de formação de aerossóis, como a  intubação, indução de tosse, broncoscopias, algumas intervenções e exames dentários, por exemplo, o trabalhador deverá utilizar Respirador PFF2.

E em casos confirmados de Covid-19…

Quando houver casos suspeitos ou confirmados de Covid-19, estes deverão ser tratados separadamente, em ambientes exclusivos e bem ventilados. Os profissionais deverão ter acesso a máscaras cirúrgicas e lenços descartáveis além de pias para lavar as mãos ou e dispensers de álcool gel ou afins. 

Além disso, Érica Lui recomenda: “Para que essa separação (dos pacientes) seja bem-sucedida é crítico que o profissional de saúde seja orientado e tenha a capacidade de identificar os casos suspeitos antes ou assim que eles derem entrada no serviço, separando-os dos demais e os orientando a adotar determinadas atitudes e comportamentos, conhecidos conjuntamente como ‘etiqueta da tosse’ ou ‘etiqueta respiratória’, e que estão descritos na Nota Técnica Nº 04/2020 da Anvisa”.

EPIs para Enfermagem

O canal Pensou Proteção também falou sobre os principais Equipamentos de Proteção Individual para a enfermagem e o profissionais da saúde.

O Promotor de Vendas e Técnico de Segurança do Trabalho da Prometal EPIs, André, explicou sobre cada EPI para enfermagem, com muitas dicas para garantir a proteção do trabalhador.

Assista:

Entendeu a importância dos Equipamentos para Enfermagem? Então fique ligado nas especificações de cada EPI e forneça a proteção certa para os trabalhadores.

EPIs para Enfermagem? É na Prometal EPIs

Aqui na Prometal EPIs você garante os EPIs para enfermagem com o melhor custo-benefício! Além disso, você tem a certeza de estar contando com as melhores marcas do mercado aliados às vantagens exclusivas de pagamento.

Por este motivo, não pense em outro local quando pensar em Segurança do Trabalho. Pensou Proteção? Pensou Prometal EPIs. Somente aqui você tem um combo completo que oferece a você uma experiência completa para a proteção do trabalhador.

Entre em contato conosco! 

Quanto mais proteção, mais qualidade e segurança!

Continue a sua leitura com Luvas descartáveis: Conheça os tipos no mercado de EPIs

Registre-se
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments


    Faça parte da nossa rede de contatos

    Estamos sempre em busca de novidades sobre equipamentos de segurança. Cadastre-se para recebê-las em seu e-mail.