Blog   EPIs   08 de janeiro de 2018

Qual é a função do Cinto de Segurança?

Tempo de Leitura: 5 minutos
cinto de segurança

O Cinto de Segurança é um EPI fundamental para garantir a segurança física dos trabalhadores que atuam com Trabalho em Altura. Isso porque ele garante que o colaborador esteja fixo à algum ponto de ancoragem para que desenvolva suas atividades.

De acordo com a NR 35, Trabalho em Altura é toda atividade executada acima de 2 metros do nível inferior, onde haja risco de queda. Os EPIs utilizados pelo profissional que trabalha no alto devem ser selecionados com atenção, levando em consideração os seguintes fatores: conforto, carga aplicada, riscos e o fator de segurança em caso de queda.

Por este motivo, conhecer as características e desafios do trabalho em altura, bem como as principais especificações do Cinto de Segurança é indispensável. Só assim é possível providenciar as melhores práticas para a qualidade de vida dos trabalhadores.

Então se você tem alguma dúvida sobre este importante Equipamento de Proteção Individual e tudo que o permeia, fique ligado no artigo! Iremos abordar todos os tipos de cintos de segurança além de dicas importantes para a Segurança do Trabalho. Boa leitura!

O que é o Trabalho em Altura

Trabalho em Altura é toda atividade profissional que seja realizada em um local acima de 2 metros de uma base principal. Além disso, para ser considerado dessa forma, deve haver o risco de queda do profissional. 

Só pelo fato de ser uma atividade desenvolvida no alto, já mostra que o ofício expõe o usuário a riscos. Por isso, é importante levar em consideração todos os cuidados possíveis para minimizar os riscos e maximizar a Segurança do Trabalhador. 

Este tipo de função é regulamentado pela NR 35, que determina todas as medidas cabíveis de segurança para o trabalho mais seguro. Dentre as medidas, está a utilização de Equipamentos de Proteção Individual, como por exemplo, o Cinto de Segurança. 

De acordo com o MTE, a NR 35 tem como objetivo estabelecer:

“Os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com esta atividade. Considera-se trabalho em altura toda atividade executada acima de 2,00 m (dois metros) do nível inferior, onde haja risco de queda.”

O Cinto de Segurança faz parte da proteção dos trabalhadores que exercem suas atividades no trabalho em altura. É uma das medidas de segurança essenciais para garantir a segurança do trabalho. Além disso, o fornecimento é uma obrigação do empregador, assim como a utilização correta é um dever do colaborador.

Tipos de Cinto de Segurança 

Os cintos de segurança para trabalho em altura exercem um papel fundamental para a proteção. Têm como objetivo criar pontos de conexão no corpo do trabalhador e distribuir, nestes pontos, o impacto gerado em uma queda..

Assim sendo, é um item indispensável para assegurar que o trabalhador esteja seguro enquanto realiza suas atividades em altura. No entanto, não existe apenas um Cinto de Segurança e, por isso, é preciso saber identificar o mais adequado.

Adquirir um produto errado resulta em muitos pontos negativos: multas para o empregador; insegurança e exposição ao risco para o trabalhador; recompra de equipamento; gasto desnecessário de dinheiro… 

Entre os tipos de cinto de segurança, temos: 

  • Cinto paraquedista com 1 ponto de conexão: Ideal para utilizar em conjunto com talabarte em Y, trava quedas retrátil, trava quedas para corda ou trava quedas para cabo de aço. É importante ressaltar que só é permitido usar um dispositivo por vez, pois o mesmo, possui somente um ponto de conexão.
  • Cinto para espaço confinado com alças nos ombros: Ideal para utilizar em atividades onde seja necessário o uso em conjunto do trapézio. No içamento ou resgate em espaços confinados.
  • Cinto para trabalhos em posicionamento com ponto de conexão abdominal: Ideal para atividades em que seja necessário o uso em conjunto do talabarte de posicionamento; onde o trabalhador precisa das mãos livres. Com conforto lombar também.
  • Cinto para alpinismo industrial, acesso por cordas e resgate: Ideal para atividades onde exijam mais conforto para o trabalhador. Pode ser utilizado em sistemas de ascensão ou descida e resgate de vítimas.
  • Cinto paraquedista para solda: Ideal para atividades de solda. Cinturão feito com as fitas em aramida, possui resistência aos respingos oriundos da atividade de soldagem. Deve ser utilizado com os dispositivos de retenção de queda no mesmo material, no caso do talabarte.

Tipos de Pontos de Conexão

Para que o Cinto de Segurança desempenhe a segurança a qual se propõe, é essencial levar em consideração também os pontos de conexão. Você sabe as diferenças entre eles e para que cada um serve? Veja agora mesmo: 

  • Meia argola para conexão nas costas: Para conectar talabarte ou trava quedas retrátil.
  • Duas meia argolas (em poliéster) no peito: juntas, formam um ponto de conexão, ideal para conectar trava quedas para corda ou cabo de aço
  • Duas alças nos ombros: Para conectar o trapézio em atividades de espaço confinado.
  • Duas meia argolas na cintura (abdominal): próprio para conectar talabarte de posicionamento; para atividades em que o trabalhador precise atuar com as mãos livres
  • Argola
  • Meia argola na região do umbigo, conexão umbilical: Própria para conexão de dispositivos descensores, blocantes ventrais e similares.

*É interessante ressaltar que os pontos de conexão ABDOMINAIS e dos OMBROS, não servem para retenção de queda, conforme os demais. 

Para assegurar a segurança do trabalhador em atividades na altura, não basta apenas o cinto de segurança, é necessário outros tipos de equipamentos, como trava quedas, cordas, cadeira suspensa, bolsa de lona, mosquetão, entre outros.

Artigo relacionado: Talabarte x Trava-Quedas: Qual é a diferença?

Tudo vai depender do tipo de atividade que será realizada pelo profissional. A orientação de um técnico ou engenheiro de segurança do trabalho é importantíssima para garantir a proteção do trabalhador nas alturas.

Como escolher o Cinto de Segurança Ideal? 

Para adquirir o produto certo, você vai precisar levar em consideração alguns fatores. Até porque, se tratando de um produto tão importante para a vida de um colaborador, todo cuidado na hora de adquirir o produto pode fazer toda a diferença.

O primeiro passo é identificar para qual atividade o Cinto de Segurança será utilizado. Após a elaboração do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, uma das medidas para o controle dos agentes de risco será a utilização de EPIs. Estes serão escolhidos de acordo com cada um dos riscos do ambiente de trabalho. 

Sabendo especificamente para qual atividade o cinto será empregado, você já vai ter uma ideia de qual equipamento precisa. Se não souber, busque a orientação de um profissional habilitado ou uma loja de EPIs confiável

Por ser considerado um Equipamento de Proteção Individual, verifique no momento da compra se o mesmo possui o Certificado de Aprovação emitido pelo MTE. É expressamente proibida a venda de EPIs sem o CA, já que esta é a certificação de que o produto foi fabricado de acordo com o que dizem as leis. 

Também é importante verificar se o Certificado de Aprovação está dentro da validade. Mas atenção, este não é o mesmo prazo de validade do EPI, ok? Ambos os prazos são coisas diferentes, mas igualmente importantes e devem ser levados em consideração. 

Entendeu tudo sobre o Cinto de Segurança? 

Para concluir o artigo, Cinto de Segurança é um Equipamento de Proteção Individual imprescindível para toda e qualquer atividade de trabalho em altura. Isso porque ele oferece Segurança e a Proteção que o usuário precisa para poder desenvolver suas atividades.

É um item obrigatório e, segundo a NR 6, o fornecimento é de responsabilidade do empregador, e deve ser feito gratuitamente para o colaborador. Este, por vez, tem como dever utilizar o EPI com responsabilidade e zelar pela guarda e conservação do mesmo.

Saber escolher o equipamento correto faz com que você economize dinheiro que seria gasto em recompra de produto ou multas trabalhistas; Além de oferecer toda a segurança necessária para o trabalhador. Por isso, guarde esse artigo nos seus favoritos para consultá-lo novamente sempre que for necessário!

Além disso, lembre-se que pode contar sempre com a Prometal EPIs. Nós não somos apenas uma loja de Equipamentos de Proteção mas, sim, um verdadeiro parceiro em Segurança do Trabalho para a sua empresa. 

Precisando de Cinto de Segurança? Confira as nossas opções

Gostou? Veja o checklist do cinto de segurança aqui! Fique atento sempre quando for utilizar o EPI, verifique se o equipamento está 100% seguro.

Registre-se
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments


    Faça parte da nossa rede de contatos

    Estamos sempre em busca de novidades sobre equipamentos de segurança. Cadastre-se para recebê-las em seu e-mail.